quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Soneto dos meandros

Estou perdido e sem amigos
Numa bolota apertada,
Que não cabe com minhas fotos
E filmes de infância.

A vida sem vida me causa ânsias
E me perco nos cantos, nos lados,
Nas reentrâncias
Da minha apertada cachola.

Das fotos de escola,
Não lembro o nome de ninguém
Porque não me importo.

Perdido nessa bola,
Nesse planeta de extravagâncias
Vivo do que é mais além.

2 comentários:

  1. quando vai ter o cap 2 dali de baixo??

    ResponderExcluir
  2. essa poesia me lembrou a do tayio, so que invertida (por que nunca sei se o Y vem antes do I??)

    ResponderExcluir

Faça da interrupção, um caminho novo.